Celular

Atualizado em
Leitura 3 min

O que é 5G? Saiba tudo sobre a nova geração de internet

Gabriela Resende, jornalista de Portal de Planos

Por Gabriela Resende

Jornalista — Portal de Planos

Celular com holograma de 5G

Se pararmos para pensar, muita coisa mudou nos nossos celulares nos últimos 10 anos. Em 2010, os aparelhos serviam apenas para fazer ligações, mandar mensagens e,  quando muito, jogar ou tirar fotos em baixa qualidade. A internet 3G e os aplicativos ainda eram para poucos, afinal o iPhone era um dos únicos modelos com essas funcionalidades e estava fora do alcance da maioria dos brasileiros. 

Hoje em dia, um smartphone com acesso à internet móvel é muito mais acessível, permitindo que as pessoas se comuniquem com amigos e familiares pelas redes sociais ou se mantenham informados, em qualquer lugar. 

Fizemos essa breve retrospectiva para dizer que, se tanta coisa mudou na internet móvel, nos últimos anos, as mudanças serão ainda maiores com a chegada do 5G, a quinta geração de internet móvel. Se você quer entender melhor o que é o 5G e que mudanças ele irá trazer para nossas vidas, continue a leitura. 

As cinco gerações de redes móveis

Para entender como chegamos ao 5G  e que mudanças ele traz em relação às gerações anteriores, vamos fazer uma breve explicação sobre como as redes de celular, de modo geral, funcionam

As operadoras de telefonia trabalham com ondas de rádio: quando você manda uma mensagem, por exemplo, os dados saem do seu celular, são transformados em ondas de rádio e captados pelas antenas da sua operadora — e vice-versa. Em resumo, a diferença de uma geração para outra — 3G, 4G, 5G… — é que as ondas de rádio funcionam em frequências maiores e têm muito mais capacidade. Isso se traduz em mais serviços e mais qualidade na conexão, para o consumidor. 

Retrospectiva

Com as redes de primeira geração, por exemplo, os usuários podiam apenas fazer ligações de voz. Com a segunda, foi possível mandar também mensagens de texto e ter um acesso à internet bem simples — foi nessa época que os celulares se popularizaram no Brasil.

Foi com o 3G, no final dos anos 2000, que a internet móvel se tornou realidade e as pessoas puderam acessar todo tipo de informação — pesquisas, redes sociais, jogos… — no celular. Atualmente, a maioria das pessoas nas grandes cidades brasileiras usa o sinal 4G, mais rápido e mais estável que o anterior, permitindo que as pessoas usem a internet móvel para todo tipo de atividade. 

Seguindo esse histórico, o 5G é a próxima evolução das redes de celular. Essa conexão vai usar redes de rádio com frequências muito maiores que as atuais. Mesmo que a gente não entenda os detalhes de como a tecnologia funciona, os números deixam a diferença clara: o 4G trabalha em uma faixa de 2.5 GHz, enquanto a próxima geração vai chegar a 95 GHz. 

Como é a internet 5G? 

A cada geração, a internet móvel foi ficando mais rápida e mais estável. Com o 5G, essa mudança será ainda mais radical: as velocidades serão de 20 a 100 vezes maiores. Já a estabilidade permitirá que muito mais gente se conecte, sem falhas no sinal. 

Além disso, como o 5G atua em frequências mais altas, as operadoras vão ter que instalar mais antenas para ter a mesma cobertura. Isso quer dizer que as antenas vão ficar mais próximas dos usuários e os celulares tendem a gastar menos bateria, para usar a internet.

Porém, a revolução 5G vai muito além de uma internet mais rápida e mais estável para os nossos smartphones. Na verdade, isso é o de menos… Faça a seguinte reflexão: antes, precisávamos entrar na internet. Agora, com os sinais 3G e 4G, estamos o tempo todo conectados, afinal a internet está na nossa mão, nos celulares. Com o 5G, por sua vez, a internet vai poder ir além e estar nas coisas. 

O mundo inteiro conectado

Por coisas, a gente quer dizer todas coisas mesmo: sua geladeira, microondas e todos os outros equipamentos da sua casa, os sinais de trânsito, as luzes da cidade… tudo estará conectado à internet e poderá ser controlado por ela, graças ao 5G. Essa ideia é conhecida como "internet das coisas" ou "internet of things" (IoT), em inglês.

Embora já existam alguns produtos seguindo esse conceito, é o 5G que vai permitir que eles realmente se popularizem. Isso porque a internet 5G permite que um número muito maior de aparelhos se conecte à rede, mas também porque o tempo de resposta é muito menor, algo que é essencial para a "internet das coisas" funcionar bem, no dia a dia. Pense em um carro autônomo (sem motorista), que se depara com um pedestre. Ele precisa detectar esse obstáculo e responder em uma fração de segundo — algo muito mais rápido do que a gente pode perceber —, para evitar o acidente. O 5G torna esse tipo de coisa possível. 

Então, se você está se perguntando qual a diferença do 4G para o 5G, essa é a maior delas: muito mais aparelhos poderão estar conectados, além do seu smartphone. No celular, a internet ficará muito mais rápida e estável.

Quando o 5G chega no Brasil?

O 5G foi disponibilizado pela primeira vez na Coreia do Sul, em 2019, impressionando todo mundo. Os primeiros celulares com 5G — de marcas como Samsung, Motorola e Xiaomi — começaram a surgir na virada de 2019 para 2020. O iPhone com 5G deve surgir até o final desse ano. 

Ou seja, a conexão 5G ainda está dando seus primeiros passos no mundo todo, uma vez que as empresas precisam construir a nova infraestrutura (antenas e etc) e isso depende de acordos com os governos de cada país, além de investimentos bilionários.

A chegada do 5G no Brasil depende da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) fazer o leilão das frequências de rádio — para que as operadoras tenham permissão de trabalhar com essas frequências, em nosso país. Esse leilão estava previsto para acontecer em 2020, mas foi adiado para o próximo ano, por conta da pandemia de covid-19. 

Depois dele é que as operadoras vão começar a trabalhar na infraestrutura. Isso significa que o 5G deve começar a chegar aos consumidores por volta de 2022 — mas isso é apenas uma estimativa; caso o leilão aconteça antes, essa data pode mudar.

Operadoras já trabalham em prévia do 5G no Brasil

Você talvez tenha lido, aqui no Portal de Planos, que a Claro começou a oferecer o 5G DSS em julho. Logo depois, a TIM anunciou que ofereceria essa tecnologia, seguida por Vivo e Oi. Isso gerou duas dúvidas nos leitores: como as operadoras estão trabalhando no 5G antes do leilão da Anatel e o que é o 5G DSS.

O 5G DSS é uma tecnologia que usa as mesmas frequências — as ondas de rádio, como explicamos anteriormente — já utilizadas pelo 4G para oferecer o novo sinal. Ou seja, as operadoras não precisam esperar a Anatel permitir o uso de novas frequências. 

O 5G DSS é até 10 vezes mais rápido que o 4G, mas ainda não oferece todo o potencial do 5G "de verdade". Além disso, como usa as mesmas frequências, o 5G DSS não tem capacidade para tantos usuários e aparelhos. Por isso, os especialistas o chamam de "prévia do 5G": é um "gostinho" da velocidade e estabilidade que teremos, quando a nova geração de internet realmente chegar no Brasil.

Por enquanto, há apenas um aparelho a venda no país, compatível com o sinal 5G e com o 5G DSS: o Motorola Edge, lançado em julho de 2020, junto com o anúncio da tecnologia pela Claro. O aparelho tem uma versão Edge Plus, mais cara, que só aceita o 5G "de verdade". 

Se você achou esse texto útil, você vai gostar de ler também o eBook que o Portal de Planos preparou, explicando tudo sobre o 5G. Você pode baixá-lo gratuitamente e ficar ainda mais bem informado sobre essa nova tecnologia que promete revolucionar a internet.

Quem escreve

Gabriela Resende, jornalista de Portal de Planos

Gabriela Resende

Jornalista — Portal de Planos

Graduada em Relações Internacionais (Uni-BH) e Jornalismo (PUC-MG), Gabriela Resende é jornalista do Portal de Planos e apresentadora do nosso canal no Youtube. Por acreditar na importância do acesso à informação, Gabriela produz nossos conteúdos para que você possa, de forma simples e clara, fazer a escolha dos seus planos de telecomunicações e entender mais sobre tecnologia.